Ponte para TGV em túnel

Discussões sobre o TGV, Thalys, Eurostar e sistemas europeus similares.
Avatar do usuário

Autor do tópico
AGV
FUNDADOR
Mensagens: 3147
Registrado em: 29 Mar 2008, 02:55
Localização: SÃO PAULO - SP
Contact:

Ponte para TGV em túnel

Mensagem não lida por AGV » 05 Jun 2008, 16:03

ATHOS escreveu:Leitura interessante:

http://www2.inescporto.pt/noticias-even ... -em-tunel/


Ponte para TGV em túnel

Arquitectura do projecto é da responsabilidade de Álvaro Siza.

O TGV vai implicar a construção de uma nova ponte sobre o Douro para a qual já existe um projecto, que aguarda a aprovação do Governo. Será uma espécie de túnel gigante em fibra-óptica com um sistema de sensores inovador, resultando de parceria que inclui INESC Porto e a FEUP.

A nova ponte ferroviária sobre o Rio Douro para o TGV deverá ser mais baixa do que a actual Arrábida e localizar-se algures entre esta e a Ponte de D. Luís, ou seja, um pouco antes da travessia de S. João. O projecto já foi apresentado ao Governo e resulta de um trabalho conjunto da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores (INESC) do Porto, da AFAssociados - Projectos de Engenharia, SA e da FiberSensing - Sistemas Avançados de Monitorização, SA. Também a RAVE, empresa responsável pela Rede Ferroviária de Alta Velocidade, é outra das entidades autoras do projecto que no que respeita à arquitectura leva a assinatura de Álvaro Siza.

A nova travessia para o comboio de Alta Velocidade é tida como inevitável. Quando o projecto do TGV arrancar, uma ponte sobre o Douro começará também a ser construída e tudo indica que possa ser a que está representada em maqueta na fotografia que acompanha este texto. O projecto está de momento patente na IV Mostra de Ciência, Ensino e Inovação da Universidade do Porto, no Pavilhão Rosa Mota, podendo ser apreciado até ao próximo domingo. Joel Carvalho, engenheiro e investigador do INESC Porto, explicou ao JANEIRO que a grande novidade naquela que deverá ser a ponte para o TGV no Porto reside no sistema de monitorização de sensores, designados de Bragg, desenvolvido pela Fibersensing. “A estrutura tem quatro sensores que permitem monitorizar em tempo real o grau de deformação que é aplicado à estrutura sempre que uma composição do TGV passa”, avançou, sustentando que “os sensores também possibilitam depois avaliar situações como o grau de deformação do vento ou de uma qualquer actividade sísmica”.

A ideia da nova travessia para ligar a Invicta, na zona do morro do Palácio de Cristal, à zona do Candal, em Vila Nova de Gaia, indica ainda que o TGV passará em todo o percurso da ponte em túnel. “Será um túnel gigante”, especificou Joel Carvalho. O responsável garante, porém, que como a estrutura é em fibra-óptica torna-se praticamente invisível, pelo que será possível olhar para a travessia e observar o comboio a passar, à semelhança do que sucede nomeadamente com o Metro na Ponte de D. Luís. O investigador do INESC Porto realçou, neste âmbito, que “a fibra-óptica é um recurso barato, imune a interferências electromagnéticas, ou seja, o contrário dos tradicionais cabos de cobre que são actualmente utilizados no maior tipo de sensores”. Aquele material é, em paralelo, mais leve e versátil.

17 de Março de 2006
Texto de Eduarda Vasconcelos

Voltar para “TGV / EUROPA”