[notícia] Brasília espera por trem urbano


Autor do tópico
Landrail
MEMBRO SENIOR
Mensagens: 2270
Registrado em: 07 Jun 2008, 00:12
Localização: CONTAGEM, MG

[notícia] Brasília espera por trem urbano

Mensagem não lida por Landrail » 24 Set 2008, 23:12

Brasília espera por trem urbano

24/09/2008 - DCI


Um programa que prevê reestruturar todo o sistema de transporte da capital do Distrito Federal, Brasília, está para sair do papel, sendo a briga restrita a Alstom e Siemens. As duas empresas, no começo deste ano, foram as únicas selecionadas detentoras de pré-requisitos para disputar a concessão de operar o primeiro Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), um tipo de trem, ou bonde urbano, que percorrerá as ruas da cidade, tendo o projeto aporte estimado em R$ 1,350 bilhão e que prevê a implantação de bondes que circulem por três trechos.

De acordo com o presidente do metrô de Brasília, José Gaspar de Souza, em entrevista exclusiva ao DCI, o projeto prevê interligar ônibus, metrô e o trem, sendo a área prioritária a norte e sul, denominada de W3 e orçada em aproximadamente R$ 670 milhões, dos quais 50% a serem obtidos com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), além de 40% negociados com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e 10% de recursos próprios do governo local.

A parte da AFD no financiamento do projeto, que deverá assinar contrato com o governo, prevê 144 milhões de euros (cerca de R$ 361 milhões) para as obras do VLT. Procurada pela reportagem, a AFD informou que o projeto não foi aprovado ainda, mas há intenção de que até o final do ano o empréstimo seja liberado. Tem de ser aprovado pelo Ministério do Planejamento, e esperamos isso, quem sabe, para esta semana. Depois, vamos mandar o projeto para nosso Conselho, afirmou Olivier Godron, diretor da instituição no Brasil.

Fontes do setor dizem que o mais provável é que haja de 30 a 35 trens na capital, atendendo a 11 estações, divididas a cada 700 metros em linha reta, sendo que cada bonde chega a eliminar até três ônibus, além de 50 carros. Segundo o presidente do metrô de Brasília, o bonde deverá ter cerca de 70 km/h de velocidade máxima, mas a possibilidade é de circular com 30 a 35 km/h e capacidade para atender de 180 a 200 mil passageiros por dia.

Souza explica que as negociações com o BID estão bem avançadas e a previsão é de o recurso ser liberado este ano. O início da construção do VLT é estimado para janeiro do ano que vem, sendo que essa fase durará 18 meses. Vale lembrar que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), procurada pela reportagem, afirmou não estar envolvida no projeto. Já a Siemens, procurada, resolveu não se pronunciar.

Sem precedentes no mercado brasileiro, porém já implantado em vários países, o bonde da Alstom, já atende a cerca de 28 cidades, em nove países. Para diretor-geral da Alstom, Ramon Fondevila, que concedeu entrevista exclusiva ao DCI ontem, meia hora antes de embarcar para França, o projeto prevê que a alimentação do bonde seja feita debaixo da terra.

Por ser uma cidade tombada pela Unesco, não se pode colocar catenária (fios de alimentação similares aos trens da CPTM e trólebus). Esta alimentação fica um pouco mais cara, porém é mais barata em termos de infra-estrutura. Além, disso, dentro do projeto gerará pouco impacto econômico, como foi na cidade de Bordeaux, na França.

Nas duas últimas semanas, o DCI acompanhou o andamento que caminha para a data da licitação do projeto denominado popularmente de trem-bala, o trem de alta velocidade que deverá ser explorado no mercado nacional e poderá ligar o Rio de Janeiro a São Paulo. Contudo, o governo começou a silenciar os órgãos sobre o andamento dos editais do projeto. O primeiro foi a Casa Civil, que era responsável pelas informações e parou de falar com a imprensa.

A responsabilidade migrou para a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), procurada cotidianamente pela reportagem deste jornal. Há algumas semanas, a agência informou apenas que não falará sobre o assunto, sendo a fonte oficial sobre o programa do trem de alta velocidade, agora, o Ministério dos Transportes, o único que poderia falar sobre o caso.

Procurado para falar sobre o andamento das negociações e sobre as datas dos editais para a abertura das licitações das empresas interessadas, o Ministério dos Transportes informou que só fala sobre o assunto depois do balanço do PAC.

Fonte:
http://www.revistaferroviaria.com/index ... a=&pagina=
Meu facebook, se for adicionar favor se identificar:
http://www.facebook.com/landerson.egg

Avatar do usuário

cataclism2
MODERADOR - CARGAS
Mensagens: 916
Registrado em: 05 Jun 2008, 13:25
Localização: Caxias do Sul - RS

Mensagem não lida por cataclism2 » 25 Set 2008, 15:24

Olha, cara, deixando de lado o fto de eu adorar esses "bondinhos" :lol: , eu cho uma excelente idéia pra Brasília, olhando "aqui de fora" b ) .

Bem que poderia rolar um bom transporte público leve lá também!

Por ser uma cidade tombada pela Unesco, não se pode colocar catenária (fios de alimentação similares aos trens da CPTM e trólebus). Esta alimentação fica um pouco mais cara, porém é mais barata em termos de infra-estrutura. Além, disso, dentro do projeto gerará pouco impacto econômico, como foi na cidade de Bordeaux, na França.

Avatar do usuário

Tiago Costa
MEMBRO SENIOR
Mensagens: 2020
Registrado em: 05 Jun 2008, 16:55
Localização: São Paulo
Contact:

Mensagem não lida por Tiago Costa » 25 Set 2008, 16:23

Mas é exatamente isso que vai acontecer em Brasília. Quando eles falam bonde (e trem urbano), é justamente aos VLTs que eles estão se referindo.

Responder Exibir tópico anteriorExibir próximo tópico

Voltar para “METRÔ - BRASÍLIA (DF)”