Politicos e Metrô

Discussões sobre transporte ferroviário brasileiro em geral.
Avatar do usuário

Autor do tópico
HGP
CO-FUNDADOR
Mensagens: 2871
Registrado em: 05 Jun 2008, 21:06
Localização: São Paulo - SP

Politicos e Metrô

Mensagem não lida por HGP » 30 Jul 2009, 09:39

Políticos prometem metrô porque ele simboliza 'democratização do conforto', diz cientista político


Haroldo Ceravolo Sereza Do UOL Notícias

Para o cientista político Paulo Kramer (UnB), no jogo político, metrô é uma espécie de palavra mágica, que simboliza a democratização do conforto no transporte urbano.


Antes dos argumentos, um levantamento: praticamente todos os prefeitos eleitos em 2008 em grandes capitais (uma pesquisa no programa de governo dos opositores traz resultado bastante semelhante) fizeram promessas ligadas ao metrô. O partido, neste caso, é irrelevante:

Gilberto Kassab (DEM), reeleito prefeito de São Paulo, prometeu investir R$ 1 bilhão na expansão do metrô, administrado pelo governo do Estado.

Eduardo Paes (PMDB) disse que faria andar as obras de expansão da linha 4, ainda em projeto, para ligar o metrô do Rio da zona sul à Barra da Tijuca, além de reformar seis estações.

Márcio Lacerda (PSB) colocou no seu programa de governo que iria viabilizar a expansão do metrô de Belo Horizonte, o que resultaria na incorporação de 14,6 km de linha à rede da cidade.

João Henrique (PMDB) afirmou, no dia da posse (1º de janeiro de 2009), que concluiria o metrô até junho (já passou) ou agosto (não vai dar).

Luizianne Lins (PT) prometeu bilhete único para ônibus, vans, trens e metrô - o metrô de Fortaleza ficará pronto, se o difícil cronograma for cumprido, em dezembro de 2011.

Beto Richa (PSDB), de Curitiba, disse que iniciaria a implantação do metrô, a ser construído sob canaletas de ônibus.

"No Brasil, ônibus é sinônimo de transporte público desconfortável", diz Kramer. Assim, o político, ao utilizar a palavra metrô em seu s discursos e programas de governo, faz alusão a "uma coisa civilizada".

Claro que o alto custo das obras, especialmente das que envolvem metrôs subterrâneos, não é sempre mencionado - o quilômetro de metrô subterrâneo pode custar, em média, US$ 130 milhões, já incluídas obras civis, desapropriações e material rodante -, o que torna o metrô uma obra fácil de prometer, nem sempre tão simples de cumprir.

Kramer acha que a multiplicação de promessas de metrô revela que o assunto transporte e mobilidade virou, de fato, uma questão importante para os políticos. "Eles podem não ser sinceros, mas são sensíveis", afirma.

O analista político Gaudêncio Torquato avalia que o metrô transmite ideia de poder e da capacidade de resolver o problema de milhões de pessoas, além de ser visível - ao contrário, por exemplo, de saneamento básico, por exemplo.

Outro fato que tornou o transporte público um assunto frequente nas eleições foi o fato de ele ter se tornado, para o eleitorado, uma questão central, ombreando no debate político com questões clássicas, como segurança, saúde e educação.

Pesquisa Datafolha publicada em 2008 apontou o transporte coletivo o 3º pior problema da cidade, atrás de segurança e saúde.

Metrô em Petrópolis?
A desenvoltura dos políticos para fazer promessas com o metrô levou um jornalista carioca Ricardo Lakihazy a escrever uma crônica ficcional. Nela, um candidato a vereador defende a implementação do Metrô Petropolitano sobre o rio Quitandinha, que corta a rua do Imperador.

Se chovesse demais e o rio subisse, nenhum problema: os "vagões submarinos" ficariam hermeticamente fechados, abastecidos de oxigênio e direito até a periscópio para o condutor.

Avatar do usuário

Pablo ITT
MEMBRO PLENO
Mensagens: 824
Registrado em: 02 Jan 2009, 11:50
Localização: Rio de Janeiro, RJ

Re: Politicos e Metrô

Mensagem não lida por Pablo ITT » 30 Jul 2009, 12:16

HGPFILHO escreveu:Políticos prometem metrô porque ele simboliza 'democratização do conforto', diz cientista político


Haroldo Ceravolo Sereza Do UOL Notícias

Para o cientista político Paulo Kramer (UnB), no jogo político, metrô é uma espécie de palavra mágica, que simboliza a democratização do conforto no transporte urbano.


Antes dos argumentos, um levantamento: praticamente todos os prefeitos eleitos em 2008 em grandes capitais (uma pesquisa no programa de governo dos opositores traz resultado bastante semelhante) fizeram promessas ligadas ao metrô. O partido, neste caso, é irrelevante:

Gilberto Kassab (DEM), reeleito prefeito de São Paulo, prometeu investir R$ 1 bilhão na expansão do metrô, administrado pelo governo do Estado.

Eduardo Paes (PMDB) disse que faria andar as obras de expansão da linha 4, ainda em projeto, para ligar o metrô do Rio da zona sul à Barra da Tijuca, além de reformar seis estações.

Márcio Lacerda (PSB) colocou no seu programa de governo que iria viabilizar a expansão do metrô de Belo Horizonte, o que resultaria na incorporação de 14,6 km de linha à rede da cidade.

João Henrique (PMDB) afirmou, no dia da posse (1º de janeiro de 2009), que concluiria o metrô até junho (já passou) ou agosto (não vai dar).

Luizianne Lins (PT) prometeu bilhete único para ônibus, vans, trens e metrô - o metrô de Fortaleza ficará pronto, se o difícil cronograma for cumprido, em dezembro de 2011.

Beto Richa (PSDB), de Curitiba, disse que iniciaria a implantação do metrô, a ser construído sob canaletas de ônibus.

"No Brasil, ônibus é sinônimo de transporte público desconfortável", diz Kramer. Assim, o político, ao utilizar a palavra metrô em seu s discursos e programas de governo, faz alusão a "uma coisa civilizada".

Claro que o alto custo das obras, especialmente das que envolvem metrôs subterrâneos, não é sempre mencionado - o quilômetro de metrô subterrâneo pode custar, em média, US$ 130 milhões, já incluídas obras civis, desapropriações e material rodante -, o que torna o metrô uma obra fácil de prometer, nem sempre tão simples de cumprir.

Kramer acha que a multiplicação de promessas de metrô revela que o assunto transporte e mobilidade virou, de fato, uma questão importante para os políticos. "Eles podem não ser sinceros, mas são sensíveis", afirma.

O analista político Gaudêncio Torquato avalia que o metrô transmite ideia de poder e da capacidade de resolver o problema de milhões de pessoas, além de ser visível - ao contrário, por exemplo, de saneamento básico, por exemplo.

Outro fato que tornou o transporte público um assunto frequente nas eleições foi o fato de ele ter se tornado, para o eleitorado, uma questão central, ombreando no debate político com questões clássicas, como segurança, saúde e educação.

Pesquisa Datafolha publicada em 2008 apontou o transporte coletivo o 3º pior problema da cidade, atrás de segurança e saúde.

Metrô em Petrópolis?
A desenvoltura dos políticos para fazer promessas com o metrô levou um jornalista carioca Ricardo Lakihazy a escrever uma crônica ficcional. Nela, um candidato a vereador defende a implementação do Metrô Petropolitano sobre o rio Quitandinha, que corta a rua do Imperador.

Se chovesse demais e o rio subisse, nenhum problema: os "vagões submarinos" ficariam hermeticamente fechados, abastecidos de oxigênio e direito até a periscópio para o condutor.


Este artigo também explica esta tendência de se transformar o trem urbano em metrô de superfície. No caso da CPTM a integração, vista por um carioca ´me parece espetacular.
No Rio esta pretensão ainda é muito tímida, só ocorreu quando se ventilou a "compra" da Supervia pela concessinária que opera o Metrô Rio.
Quanto ao metrô de Petrópolis a crônica é muito engraçada só que fazendo uma aluzão que Petrópolis foi colonizada por alemães, possui muitos rios (não navegáveis) que cortam a cidade e que em Wuppertal (Alemanha) existe aquele fantástico sistema de trem suspenso sobre os rios, a idéia não é de todo ruim. Nova Friburgo já tentou implantar este mesmo modelo mas esbarrou no alto valor do maquinário visto que foi um sistema que não houve interesse em se desenvolver. Quem sabe se a partir de um determinado momento os técnicos brasileiros não pensem em implantar o sistema sobre o leito dos rios urbanos que cortam várias cidade brasileiras que sofrem com a falta de espaço para implantar um transporte de massa eficiente e, ao mesmo tempo resolvam seus problemas de enchente e saneamento. :rl:

Avatar do usuário

Pablo ITT
MEMBRO PLENO
Mensagens: 824
Registrado em: 02 Jan 2009, 11:50
Localização: Rio de Janeiro, RJ

Re: Politicos e Metrô

Mensagem não lida por Pablo ITT » 30 Jul 2009, 13:44

Mal acabei de postar e li esta notícia na RF.
_____________________________________________________________________
Macaé terá metrô de superfície

30/07/2009 - O Globo

O município de Macaé vai implantar, até 2012, um sistema de metrô de superfície. O acordo será assinado hoje pela prefeitura local, ANTT, ferrovia Centro-Atlântica (FCA) e Secretaria estadual de Transportes. A linha, de 23 quilômetros, cortará a cidade de norte a sul. Calcula-se que mais de seis mil pessoas vão utilizar o serviço diariamente. Além da melhoria do transporte urbano, a expectativa é de que as estações ferroviárias tornem-se áreas de lazer.
O projeto exigiu longa negociação com a FCA, que pertence à Vale. A concessionária teve de liberar o uso da linha férrea para o transporte de passageiros. O transporte de cargas, operado pela empresa, passará a ser feito à noite. O investimento inicial nos veículos leves sobre trilhos (VLT) e no material rodante é estimado em R$ 20 milhões. “A prefeitura deve firmar uma PPP para operar o sistema”, diz o secretário de Transportes do estado, Julio Lopes.

___________________________________________________________________________

Na realidade este trecho fazia parte de um projeto para trem regional chamado O Trem da Rota do Sol, que tinha cunho tanto turístico quanto urbano e regional. Só que político brasileiro quer tirar proveito só para sí. É muito mais interessante criar um metrô de superfície que terá ganhos políticos só para ele, do que um trem, ainda mais com o nome trem, regional tendo que dividir os louros com os outros, principalmente se forem de outros partidos, não sei se é o caso.
nnoo

Avatar do usuário

Elmo
USUÁRIO JR
Mensagens: 47
Registrado em: 05 Jun 2009, 04:01
Localização: Contagem - MG

Re: Politicos e Metrô

Mensagem não lida por Elmo » 01 Fev 2010, 04:37

É mais seguro andar de metrô.
Um bandido vai pensar duas vezes em assaltar alguém por lá que é vigiado por câmeras e seguranças, além da dificuldade em sair, doque no ônibus que basta roubar e descer.
Imagem
Visite: Construction Family

Avatar do usuário

Autor do tópico
HGP
CO-FUNDADOR
Mensagens: 2871
Registrado em: 05 Jun 2008, 21:06
Localização: São Paulo - SP

Re: Politicos e Metrô

Mensagem não lida por HGP » 14 Abr 2010, 15:14

As vezes podem gerar certos reveses... Aqui em SP o PSDB não digeriu bem o atraso das linhas 4 e da expansão da 2.

Avatar do usuário

Renanfsouza
COORDENADOR
Mensagens: 2507
Registrado em: 05 Jun 2008, 10:54
Localização: Rio de Janeiro/RJ

Re: Politicos e Metrô

Mensagem não lida por Renanfsouza » 14 Abr 2010, 23:30

Elmo escreveu:É mais seguro andar de metrô.
Um bandido vai pensar duas vezes em assaltar alguém por lá que é vigiado por câmeras e seguranças, além da dificuldade em sair, doque no ônibus que basta roubar e descer.


Sim, concordo plenamente. A sensação de segurança que se tem em um metrô é bastante grande...
Central-Caxias: 1:30 de trânsito pela Linha Vermelha. Ou 29 minutos pela Supervia.

Avatar do usuário

Lopes
MEMBRO SENIOR
Mensagens: 1540
Registrado em: 20 Jun 2008, 17:10

Re: Politicos e Metrô

Mensagem não lida por Lopes » 16 Abr 2010, 00:58

Macaé desfrutando da riqueza do petróleo... <O>
Rodrigo Lopes

Responder Exibir tópico anteriorExibir próximo tópico

Voltar para “ARTIGOS, NOTÍCIAS E TEXTOS”