Trem Série 1700 - Mafersa

Moderador: Lipe Andreense


Autor do tópico
Sergio Silva
Conta Suspensa
Mensagens: 437
Registrado em: 15 Fev 2017, 23:16

Trem Série 1700 - Mafersa

Mensagem não lida por Sergio Silva » 13 Jun 2008, 02:00

Fabricado em 1987, a grande maioria dos trens da série já foi reformada, principalmente por causa de problemas no freio original, que foi um dos fatores decisivos para o lamentável acidente de Perus. Foram trocados os freios de todas as unidades reformadas.

Roda na linha 7. Já rodou na linha 10, ainda sob a bandeira da CBTU e nos primórdios da CPTM, e fazia o serviço mais longo da empresa: Jundiaí <=> Paranapiacaba, com 110 quilômetros de extensão, e intervalos de 1 hora. Atualmente, o serviço mais longo é ainda na linha 7, mas com uma extensão menor: 39 quilômetros entre os terminais Luz e Francisco Morato.

Possui similares no Rio de Janeiro, do qual foi baseado, sofrendo as devidas adaptações de projeto para rodarem em solo paulista.

Na região da linha 7, é apelidado de "Grande" por ter 8 carros, dois carros a mais do que as composições da série 1100 que rodam na mesma linha, apelidados de "Pequeno".

Ficha técnica

Formação básica
Imagem

Características

Formação TUE: MC+R+R1+MC1
Fabricante: MAFERSA (Material Ferroviário SA)
Ano de Fabricação: 1987
Origem: Brasil
Ano Operação: 1987
Caixa: Aço Inox
Bitola: 1,60 m
Quantidade de Portas/Carro: 8
Linhas de operação: 7/10
Composição Linha 7: 8 (trecho principal) e 4 (extensão) Carros
Composição Linha 10: 8 Carros

Dimensões

Altura Carro: 3,945 m
Altura Pantogr. Abaixado: 4,368 m
Altura Pantogr. Levantado: 6,848 m
Altura Boleto ao Piso: 1,305 m
Altura Boleto ao Eixo Engate: 0,990 m
Largura Carro: 2,930 m
Largura Portas: 1,30 m
Comprimento MC/MC1: 21,453 m
Comprimento R/R1: 22,004 m
Peso MC/MC1: 57.000 Kg
Peso R: 42.000 Kg
Peso R1: 41.000 Kg
Diâmetro das Rodas: 38 pol.

Capacidade e Desempenho

Esforço Trator: 15.920 Kgf
Potência Contínua: 2.530 Kw
Velocidade Máxima: 100 Km/h
Aceleração Máxima: 0,80 m/s²
Desaceleração Max. Freio de Serviço: 0,77 m/s²
Desaceleração Max. Freio Emergência: 1,10 m/s²
Raio Mín Curv Horiz.: 80 m
Lotação MC/MC1: 60+197
Lotação R/R1: 68+238
Lotação TUE: 1126


Fotos
Fotos próprias
Na estação Vila Clarice :D
Imagem
Imagem
Imagem

Na estação Pirituba
Imagem

cabine do 1713 em Jundiaí - 01
Imagem

cabine do 1713 em Jundiaí - 02
Imagem

Fotos de lipe_andreense:
lipe_andreense escreveu:Minhas fotos:


01 - Na Água Branca
Imagem


02 - Na Lapa
Imagem


03 - Em Pirituba. Destaque para a cabine apedrejada :evil:
Imagem


04 - Fotos do interior
Imagem


05 -
Imagem


06 -
Imagem


Lista de unidades
Frota total: 25 unidades
Unidades ativas: 21, sendo 3 (1704, 1714 e 1728) rodando na extensão da linha 7
Unidades inativas: 4 (1708, 1720, 1724 e 1748, nenhuma delas foi reformada)
Unidades baixadas: 0

Código: Selecionar todos

Unidade   Empresa      Peculiaridades
1702      Alstom      Foi o trem responsável pelo acidente de Perus. Ex-1742
1704      Alstom      
1706      Alstom      
1708      ----------
1710      Alstom      
1712      Alstom      
1714      Alstom      
1716      Alstom      Não possui bagageiros.
1718      ADTranz      
1720      ----------
1722      IESA      
1724      ----------
1726      Inepar      Reformado/revisado em 2007 pela Alstom.
1728      IESA      
1730      IESA      
1732      Inepar      Não possui bagageiros. Reformado/revisado em 2007 pela Alstom.
1734      Inepar      
1736      Alstom      Não possui bagageiros. Possui letreiros de lona
1738      Bombardier   
1740      Alstom      
1742      ----------
1744      Bombardier   
1746      Alstom      Possui letreiros de lona
1748      ADTranz      
1750      ADTranz

----------: Não-reformados


Letreiro
A título de curiosidade: os destinos dos letreiros de lona da série são os seguintes:
01 JUNDIAÍ
02 FRANCISCO MORATO
03 PERUS
04 PIRITUBA
05 LUZ
06 SANTO ANDRÉ
07 MAUÁ
08 RIBEIRÃO PIRES
09 RIO GRANDE DA SERRA
10 PARANAPIACABA
11 BRÁS
12 ESPECIAL
13 OFICINA
14 RECOLHE
Editado pela última vez por Anonymous em 27 Jul 2008, 00:49, em um total de 8 vezes.


Landrail
MEMBRO SENIOR
Mensagens: 2270
Registrado em: 07 Jun 2008, 00:12
Localização: CONTAGEM, MG

Mensagem não lida por Landrail » 13 Jun 2008, 02:42

O mafersão é sucesso, é avatar de todo mundo hahaha!!!
em todas as fotos da cptm aparece um "mané" com a cabeça pra fora!!!
Meu facebook, se for adicionar favor se identificar:
http://www.facebook.com/landerson.egg


Autor do tópico
Sergio Silva
Conta Suspensa
Mensagens: 437
Registrado em: 15 Fev 2017, 23:16

Mensagem não lida por Sergio Silva » 14 Jun 2008, 01:58

Pois é, esta é uma das séries que mais têm fãs, tanto em solo paulista (ao lado do Sukita e do Fepasão) como em solo fluminense. 8)

Avatar do usuário

[D.S.R] David SR
MODERADOR RJ
Mensagens: 730
Registrado em: 09 Jun 2008, 10:30
Localização: Rio de Janeiro-RJ
Contact:

Mensagem não lida por [D.S.R] David SR » 14 Jun 2008, 18:09

Que TUE magnífico, simplesmente único, a CPTM está cuidando muito bem deles, bem que podia por ar condicionado como fizeram com os fluminenses.
Mas no estado que eles estão, podem ficar assim mesmo. 8)
O mais legal que fizeram com eles na minha opinião foi ter trocado a folha central da máscara frontal para tirar o letreiro de lona, essa vista eletrônica que botaram ficou muito boa. :D
DIGA NÃO A METRÔ RIO, volta CMRJ.

Avatar do usuário

Lopes
MEMBRO SENIOR
Mensagens: 1540
Registrado em: 20 Jun 2008, 17:10

Mensagem não lida por Lopes » 20 Jun 2008, 17:21

Se eles dessem uma bela de uma reformada nele, como nos 5550, sem trocar a máscara, ou até trocando algumas, gostaria de vê - los rodando na Linha 9 (C)
Rodrigo Lopes


Autor do tópico
Sergio Silva
Conta Suspensa
Mensagens: 437
Registrado em: 15 Fev 2017, 23:16

Mensagem não lida por Sergio Silva » 21 Jun 2008, 09:58

Lopes escreveu:Se eles dessem uma bela de uma reformada nele, como nos 5550, sem trocar a máscara, ou até trocando algumas, gostaria de vê - los rodando na Linha 9 (C)


Também já pensei nisso, mas foi mais pelo fato que a linha 9/C precisa de trens com desempenho parecido com os Siemens. Porém, a linha 7/A possui um problema crítico: possui rampas fortes. O 1700 encara brincando as rampas da linha. O 1100, 1400 e 1600 sofrem, mas conseguem enfrentar tranquilo. Já as séries 2100, 5000, 4800 (esta por motivos óbvios) e, provavelmente, a série 5500 (com 33% de motorização) não conseguem rodar na linha.
As séries 2000, 2070, 3000, 4400 e 5500 (esta com 50% de motorização) devem ter um bom desempenho, mas não posso afirmar nada

Outro problema é o cheirinho "agradável" do rio Pinheiros, um dos motivos pelos quais só trens com ar-condicionado rodam na linha 9/C.

Aliás, com uma frota de 25 trens, daria para deixar a frota da linha 9/C completamente homogênea

Avatar do usuário

Lopes
MEMBRO SENIOR
Mensagens: 1540
Registrado em: 20 Jun 2008, 17:10

Mensagem não lida por Lopes » 21 Jun 2008, 22:21

Uma vez há um tempo atrás, estava andando sem rumo por aí...
Fui parar em Fco. Morato. 8). Daí pensei, já que estou aqui, vou emendar até Jundiaí. (Estação que me cativou, apesar de dar medo de estar nela... Parece que vai cair :wink: )
Quando me vem...
2100 :shock:
Fiquei besta! Nunca tinha visto algo assim...
Mas o desempenho dele não foi um dos melhores, exeto no túnel, talvez por "confronto" de sistemas de sinalização diferentes...
Parava no meio do caminho, ficava uns 2 minutos parados... Nas estações 5 minutos cada...
Enfim, esse foi meu causo...
Rodrigo Lopes


Landrail
MEMBRO SENIOR
Mensagens: 2270
Registrado em: 07 Jun 2008, 00:12
Localização: CONTAGEM, MG

Mensagem não lida por Landrail » 21 Jun 2008, 22:26

^^ Isso é coisa do CCO,não???
Meu facebook, se for adicionar favor se identificar:
http://www.facebook.com/landerson.egg

Avatar do usuário

Lipe Andreense
MODERADOR CPTM
Mensagens: 1957
Registrado em: 05 Jun 2008, 13:25
Localização: Santo André - SP

Mensagem não lida por Lipe Andreense » 21 Jun 2008, 22:27

Meio dificil acreditar, quando foi isso ???


O 2100 não teria nenhum conflito de sinalização, já que nesse trecho é a mesma sinalização da linha D, onde ele roda sem problemas.
Imagem

Avatar do usuário

Lopes
MEMBRO SENIOR
Mensagens: 1540
Registrado em: 20 Jun 2008, 17:10

Mensagem não lida por Lopes » 21 Jun 2008, 22:30

Já faz tempo, vou dar um ano... Mas não é preciso!
2002
Mas foi no tempo que houve alguns testes com esse trem na linha 7/ A.
Que parece (Vi na comunidade Metrô SP - Você também anda) até que o motor ficou de "cabeça quente" nas subidas acho que uma delas foi na Vila Clarisse
Rodrigo Lopes


Autor do tópico
Sergio Silva
Conta Suspensa
Mensagens: 437
Registrado em: 15 Fev 2017, 23:16

Mensagem não lida por Sergio Silva » 21 Jun 2008, 22:52

Só uma correção: atualmente, é Vila Clarice.

Mas então, me deixaram com uma dúvida agora. (sou o 犬夜叉 da comu :mrgreen: )

Para mim, o mais óbvio é isso ter acontecido na subida, e o motor que foi pro saco, mas também já ouvi dizer que o banco de resistores, usado pelo freio dinâmico, torrou na descida.

Se o Tiago Costa me permite :P :
Hey, Sergio, tem certeza de que foi na subida que o 2100 pegou fogo? Porque vi um relato no site www.ut440.com de que os 2100 em rampas fortes têm problemas na descida (o banco de resistores ferve quando o freio dinâmico é utilizado em rampas fortes de descida). Ou foram os motores que pegaram fogo?


Speedy256k
Conta Suspensa
Mensagens: 68
Registrado em: 15 Fev 2017, 23:16

Mensagem não lida por Speedy256k » 23 Jun 2008, 16:49

Lopes escreveu:Se eles dessem uma bela de uma reformada nele, como nos 5550, sem trocar a máscara, ou até trocando algumas, gostaria de vê - los rodando na Linha 9 (C)

Eles devem ser reformados, e devem ficar na linha 7
esse povo também merece conforto

Avatar do usuário

Lopes
MEMBRO SENIOR
Mensagens: 1540
Registrado em: 20 Jun 2008, 17:10

Minha contribuição... História sobre o TUE

Mensagem não lida por Lopes » 04 Jul 2008, 01:19

O TUE foi projetado pela Mafersa entre o fim dos anos 70 e o início dos anos 80, sendo produzido para a CBTU. Em 1980 entra em serviço na Superintendência de Trens Urbanos do Rio de Janeiro (CBTU/STU-RJ). Na Superintendência de Trens Urbanos de São Paulo (CBTU/STU-SP), a série 700 entrou em serviço somente em 1987, após uma troca com a STU-RJ, onde trens da série 900 (que operavam em São Paulo), foram para o Rio de Janeiro e alguns trens da série 700 vieram para São Paulo.

Atualmente os trens série 700 são operados no Rio de Janeiro pela Supervia que investe em um programa de modernização dessa série, e em São Paulo são utilizados na Linha 7 operada pela CPTM que os renomeou série 1700 após ser modernizado.
Fonte: Wikipédia
-------------------------------------------------------------------------------------

Diga - se de passagem...
Ainda bem que os série 900 foram pro Rio! :o
ô trem feio! Dá até medo!
Rodrigo Lopes


Autor do tópico
Sergio Silva
Conta Suspensa
Mensagens: 437
Registrado em: 15 Fev 2017, 23:16

Mensagem não lida por Sergio Silva » 04 Jul 2008, 02:58

O rapaz aí falou besteira! hahaha

David, explica aí a história dos 700 paulistas e fluminenses...

Avatar do usuário

Tiago Costa
MEMBRO SENIOR
Mensagens: 2020
Registrado em: 05 Jun 2008, 16:55
Localização: São Paulo
Contact:

Mensagem não lida por Tiago Costa » 04 Jul 2008, 03:09

Pelo que eu entendi, Sergio, só alguns dos 700 (no caso, 25) foram para a STU/SP. O restante (5 trens) ficou no Rio de Janeiro. Me baseei no fato de serem fabricados 30 TUEs (de acordo com o site EFBrazil), e que a frota 1700 da CPTM é composta de de 25 TUEs.


Autor do tópico
Sergio Silva
Conta Suspensa
Mensagens: 437
Registrado em: 15 Fev 2017, 23:16

Mensagem não lida por Sergio Silva » 04 Jul 2008, 03:31

Tiago Costa escreveu:Pelo que eu entendi, Sergio, só alguns dos 700 (no caso, 25) foram para a STU/SP. O restante (5 trens) ficou no Rio de Janeiro. Me baseei no fato de serem fabricados 30 TUEs (de acordo com o site EFBrazil), e que a frota 1700 da CPTM é composta de de 25 TUEs.


Mas como, se a frota de 700 no RJ também é de 25 TUEs?

Queria que o David explicasse, ele conhece essa história melhor que eu. Mas enfim: na década de 1980, a STU-SP trocou os trens da série 900 pelos série 700 fluminenses. A CBTU/STU-SP gostou desses trens, e como a SJ precisava de trens urgentemente (acabei de ler no Railbuss que na década de 80, por exemplo, a frota era mais mista que a Banda B da linha E: séries 100, 1400, 1600, 4400 e 5500, sendo que estas duas últimas faziam parte da frota das linhas Leste Tronco e Leste Variante, atuais 11 e 12), a CBTU mandou aproveitar o projeto e fabricar 25 TUEs para a linha Noroeste/Sudeste, atuais linhas 7 e 10, com pequenas alterações, como a presença de ATC (a mais importante) e pequenas mudanças no interior. Quando começaram a circular em SP, os TUEs da série 700 fluminenses voltaram para o Rio, e circulam por lá até hoje.

A frota brasileira da série 1700/700 é de 50 TUEs, sendo 25 da CPTM e 25 da Supervia.

Série 1700/CPTM
Fabricante: Mafersa
Ano: 1987
Frota adquirida: 25 TUEs, pela CBTU/STU-SP
Frota total: 25
Frota ativa (1): 21*
Frota inativa (1): 4*

Série 700/SuperVia
Fabricante: Mafersa
Ano: 1980
Frota adquirida: 30 TUEs, pela RFFSA/SR3 (?)
Frota total: 25
Frota ativa (2): 24
Frota inativa (2): 1

1. Dados obtidos por observação na linha 7 da CPTM
2. Dados obtidos pela Revista Ferroviária
*. Essas 4 unidades possuem freios originais, que está com defeito, e foi um dos fatores responsáveis pelo acidente de Perus. As outras 21 unidades possuem freio SabWabco (é assim que se escreve?)

Avatar do usuário

Lopes
MEMBRO SENIOR
Mensagens: 1540
Registrado em: 20 Jun 2008, 17:10

Mensagem não lida por Lopes » 04 Jul 2008, 15:43

Eu disse:
Fonte: Wikipédia

Obrigado!
Rodrigo Lopes


Autor do tópico
Sergio Silva
Conta Suspensa
Mensagens: 437
Registrado em: 15 Fev 2017, 23:16

Mensagem não lida por Sergio Silva » 04 Jul 2008, 16:04

Lopes escreveu:Eu disse:
Fonte: Wikipédia

Obrigado!


Lopes, wikipédia não é e provavelmente nunca será uma fonte completamente confiável!

Se foram fabricados 30 trens, como a frota brasileira dessa série é de 50 TUEs?

Avatar do usuário

Lopes
MEMBRO SENIOR
Mensagens: 1540
Registrado em: 20 Jun 2008, 17:10

Mensagem não lida por Lopes » 04 Jul 2008, 16:42

Sérgio, eu tirei de lá, pelo menos para dar alguma contribuição ao acervo do fórum!
Está sujeito a correções
Rodrigo Lopes

Avatar do usuário

Lopes
MEMBRO SENIOR
Mensagens: 1540
Registrado em: 20 Jun 2008, 17:10

Mensagem não lida por Lopes » 10 Jul 2008, 20:01

Só uma observação...
Esse trem tem uma aceleração, :shock: !!!!
Mas algo me estranhou, assim, não andei no trecho principal da linha 7, apenas na extensão nesse trem.
Além de eu ficar espantado com a velocidade de aceleração dele, gostaria de saber porque ele não correu que nem louco como fazia antigamente (2 ou 3 anos atrás).
Porque isso?
Rodrigo Lopes

Responder Exibir tópico anteriorExibir próximo tópico

Voltar para “CPTM - SP”